Alemanha - Parte 4 de 4

Dia 6

Acordamos cedo com destino certo: Colönia!

 

Deixamos a mala no hotel e partimos para conhecer o centro, e nos deparamos logo de cara com a Catedral de Kolln ! Com a arquitetura gótica, a estrutura está passando por uma reforma. Para entrar não foi preciso pagar nada, mas os meus olhos ficaram encantados com tanta beleza e tamanho: COMO É GRANDE! LINDA! Os vitrais, as esculturas, o piso, as colunas tudo é de ficar encantado.

 

 

 

Deixamos a catedral e fomos ao Ludwing Museu, e sabe o que eu encontrei lá, o mesmo quadro que vi e fiquei apaixonada no museu de Arte da Philadelphia. O museu é enorme com muitas exposições interessantes, com uma vista linda para a ponte.

 

 

Depois, andamos beirando o canal para ver a possibilidade de um cruzeiro nos barcos, mas estava muito frio e abortamos a missão. Os barcos eram abertos e eu não conseguia me imaginar do lado de fora tipo o Olof .

Na região Martins Viertel, além de uma vista linda para o canal, há também praças e restaurantes. Gente a arquitetura é linda, com muitos restaurantes e bares para você. Mas o nosso foco era andar e aproveitar o tempo sem chuva. Ficamos na região andando pelas ruas e depois voltamos para o hotel, pois o frio apertou.

 

 

 

Dia 7

Acordei e fui visitar a loja que criou a colônia, ou seja, inventou o perfume! É a primeira loja ne colônia do mundo e é por isso que a cidade tem esse nome. Além da loja há também um museu com tour guiado que é preciso agendar com antecedência, infelizmente o tour em inglês já tinha começado e o de espanhol seria só na parte da tarde o que ia atrapalhar um pouco os nossos planos... Mas aproveitei para andar pela loja, provar a tal primeira colônia (que eu achei bem bem forte). A menina da recepçãoo foi super simpática e me explicou todos os detalhes da loja. E então parti para a minha programação inicial.

Loja da primeira colônia do mundo que deu origem ao nome da cidade

 

Como vir a Alemanha e não conhecer um castelo? Afinal é aqui que está o castelo que inspirou o Walt Disney para construir o castelo da Cinderella! Mas, não fui visitar esse... tava um pouco fora do nosso roteiro, mas tive a oportunidade de conhecer 2!

O primeiro foi na região de Burg an der Wupper, não só um castelo como também um museu. Podemos visitar as instalações do castelo e ver como foi construído, reconstruído depois dos ataques de guerras.

 

 

O segundo castelo, na verdade foi um Palácio, segura ai o nome: Augustosburg and Falkensult. Com uma arquitetura completamente diferente do castelo anterior, aqui me senti no Palácio de Versalles (que conheço por fotos). Com um jardim lindo, é possível fazer um tour com guia (que fala alemão), mas há um áudio tour com inglês, espanhol, francês e italiano.

 

Parei no meio do caminho para tirar foto em uma plantação de canola! Adoro esse efeito amarelo com verde! Tem muitos campos assim por aqui, espalhados por todos os lados.

 

 

Chegando a cidade resolvemos fazer uma Baratona! E degustar algumas cervejas. Com a ajuda mais uma vez dos aplicativos Yelp e Trip Advisor iniciamos na Gaffel, depois na Bierhaus Paffgen (a taverna mais antiga da região), seguindo para Sunner e Peters. Terminamos a nossa noite no bar e boate ZoZ, no primeiro andar é boate e no subsolo funciona uma boate.

 

O interessante de visitar a Alemanha é que me fez voltar em muitas aulas de história, não apenas pela arquitetura e museus, mas pelo passado que aprendi. Eu me senti muito honrada com essa mini oportunidade de 7 dias inteirinhos conhecendo algumas cidades.

 

> Algumas dicas que fizeram a diferença nessa viagem:

 

01.Moeda

Troquei 275 euros, com meu primo e minha madrinha.

Nosso foco foi conhecer lugares e não fazer compras, com a excessão das roupas típicas e de um creme para a região dos olhos que comprei aqui que estavam mais baratos. Do mais, foram 2 imas de geladeiras para lembrarmos da viagem e até esquecemos de comprar em Stuttgard e em Dussendolf. Vamos ter que voltar =)

Voltamos com 6 dinheiros de euros, o que já é caixinha para a próxima eurotrip.

02.Hospedagem

Os hotéis que ficamos ofereciam um bom café da manhã e lanche da tarde e com isso priorizamos as refeições no hotel para economizarmos.

Escolhemos também hotéis que ficavam bem localizados para que pudéssemos nos deslocar andando e conhecendo mais a cidade sem uso de metrô, taxi ou tour pago.

03.Passagens

A passagem foi comprada com uma super promoção e só por isso eu fui.

04.Carro

Alugamos um carro pela Hertz, que tem um plano de milhas que descobri no Brasil. A cada vez que alugamos carro fazemos uma pontuação que vai nos ajudar economizar em alguma próxima viagem.

Escolhemos o carro e não os trens pois queríamos ter nossos horários e destinos. Essa parte nos fez gastar um pouco mais, porém abastecemos o carro 2 vezes e tivemos a liberdade de visitar os castelos por exemplo.

05.Seguro Viagem

O seguro viagem ficou em 75 dinheiros de dólares, porque peguei uma cotação baixa quando a câmara dos deputados estava votando no impeachment da Dilma. No dia seguinte fiz o meu seguro viagem que não viajo sem ele.

Se você está com viagem marcada tem que ficar acompanhando o cenário econômico e aproveitas as melhores opões.

 

06.Mala

Como estava no Brasil voltando para os EUA, na minha mala eu não tinha roupa de inverno pesado para vestir na Alemanha. Mas como eu estava monitorando o tempo através da internet, pude me preparar e levar um casaco pesado que me servi durante todos os dias de viagem.

 

07.Tours

Pesquisei em alguns blogs de viagem e também pelos aplicativos TripAdvisor e Yelp. Gastamos mais, ou melhor, investimos, em visita aos museus que na sua maioria pagamos com o cartão de crédito.

As cidades são fáceis de andar e como eu salvava a localização do hotel no Google Maps, usava o GPS do telefone mesmo com a internet em modo avião, mas com o sinal de wifi ligado. Também estava com um mapa de papel e um cartão do hotel em caso de emergência.

Alemanha - Parte 3 de 4

Saimos de casa cedo, já que ontem perdemos a metade do dia dormindo. A razão é que colocamos o pé na estrada para Dussendolf.

Mas antes, uma paradinha pelo centro da universidade de Munique e também de uma loja para comprarmos roupas típicas: SIM!

Universidade de Munich

Universidade de Munich

 

As lojas tinham peças que começavam de 33 dinheiros de euros até 1000 euros ou mais. O meu vestido foi  33 dinheiros =) e o do noivo com tudo (Bermuda, meia, chapéu) 95 dinheiros de euros. Feliz com as compras, pé na Estrada para mais uma cidade.

 

No meio do caminho fomos surpreendidos por muita chuva, o que nos fez reduzir a velocidade mesmo estando na auto Estrada mais veloz do planeta. Com isso, paramos em uma vila pequena chamada Manching para almoçar e com a ajuda do Yelp! Descobrimos uma casa de massas muito boa, bem servido e com preço honesto. Um prato de fetutinni + calzone + cerveja = 18 dinheiros de euros. Como uma prima já havia me falado, cidades pequenas da Europa não aceitam cartão, somente dinheiro, então pagamos com dinheiro o nosso delicioso almoço e fomos para a Estrada.

Mais uma vez o tempo mudou pegamos neve, uma tempestade de neve forte, depois o céu abriu azulzinho e depois choveu… realmente Abril é o mês de todas as estações por aqui.

Cheguei ao hotel Intercontinental que fica super bem localizado, 10 minutos dos pontos turísticos, e com um delicioso restaurante.

Fui fazer um reconhecimento da região, depois de ter pesquisado no TripAdivisor os pontos turísticos.

A cidade tem ruas limpas prédios com a arquitetura singular e pelo que fiquei sabendo, alguns produtos por aqui custam mais que em outras cidades, simplesmente porque você está em Dussendolf.

A Galeria Kaufhof é uma loja de departamentos como a Macy’s com vários artigos das marcas mais conhecidas. É uma cidade super simples de andar, e limpa.

No Parque tem um lago e muitas esculturas. Esse parque fica próximo também de um novo complexo (o que podemos chamar de shopping) referência em moda, o que também chama a atenção é o design do prédio, uma arquitetura bem moderna.

A cidade tem muitos parques e mesmo apesar do frio e da chuva constante, há muito verde, flores e passarinhos.

Voltei para almoçar no hotel e dar um tempo na forte chuva. E depois eu fui para o outro lado, não adiantou muito… mesmo com casaco de esqui, bota, calça de frio e muitas blusas fui rendida por uma ventania forte, chuva de granizo e por isso resolve voltar para o hotel e tomar um vinho que eu achei delicioso depois de “degustar”1/2 garrafa =)

Dia 5

O dia amanheceu com S O L! Tomei um café da manhã super rápido e fui colocar a “cara no sol mona”! A cidade ganha uma outra beleza com a luz do sol e faz com que fique ainda mais bonita, com cores das flores e os patinhos que vivem soltos!

Fiquei surpreendida com o silêncio da cidade, mesmo estando perto de uma Estrada muito movimentada, com caminhões e ônibus, não ouvia barulho de freios, ou buzinas. Realmente a poluição auditiva que temos no Brasil ou mesmo nos EUA deve ser algo do passado por aqui!

Fui andando berando todo o rio, aproveitando esse dia de sol. Aqui na pargem do Rio XXX há muitos bares com toda a estrutura para receber turistas: telões, aquecedores, toldos. São diferentes tipos de bares com diferentes propostas. Aqui também tem uma vitrine de livros, que voê pode pegar e lersentado em um dos bancos da região portuária ou em casa. É livre e gratúito. Eu achei livros em alemão, ingles e frances.

A cidade tem muitas igrejas e museus também. Uma parte que me chamou a atenção é a chamada Altstadt, fica bem pretinho do rio e tem muitos bares, hostels e lojinhas. Me lembrou muito as ruas do Rio Antigo, com artistas de rua e bares que ofereciam happyhour com um valor mais acessível.

Hora de visitar o Gehry Buildings! Do lado oposto que andei anteriormente, fui ao encontro dessas construções super famosas, pois o design das janelas nos dá a percepção de que estão sempre abertas. Há três prédios com a arquitetura arredondada, um todo prateado, outro branco e um cor tijolo. Essa região tem muitos escritórios de empresas internacionais e eu acabei encontrando aqui, o escritório das Havaianas!

Nessa região do rio uma turma de estudantes praticavam remo, mas tiveram que interromper o treino por conta da chuva que foi chegando. E eu? Aproveitei para sobir a grande Torre!

Da Rheinturm Tower tem uma visão 360 graus da cidade e é possível comprovar como ela é tão rodeada de parques. Daqui também é possível ver algumas indústrias.

 

De volta ao hotel, hoje posso dizer que o meu dia rendeu!

=)