Isla Grande, Colômbia

Oi Gente!

Estou de volta para continuar a série de posts sobre a minha viagem pela Colômbia! Como eu falei no post anterior, nosso objetivo era relaxar e zerar o stress. Objetivo alcançado com sucesso! 

Optamos por dias literalmente desligados de tudo e só curtindo sombra e mar. Desconectamos de tudo, para nos reconectar (aiii que romântico!). Escolhemos a Isla Grande, uma das ilhas que forma o arquipélago de Isla de Rosário e a escolha foi baseada em: tranquilidade e pontos do cartão de crédito para garantir a hospedagem. 

 

- COMO CHEGAR:

O hotel que nos hospedamos oferecia transporte da Marina de Cartagena até a Isla Grande. Para chegar até a Marina, pegamos um taxi no nosso hotel Hyatt (na região de Bocagrande), no valor de 20.000 dinheiros de pesos. Chegando à Marina, passamos pelo portão de controle (que não é nada demais) e ficamos aguardando o horário de embarque. O espaço era na sobra, tinha um bar simples com água, alguns biscoitos para a venda e também havia um banheiro bem cuidado. 

O barco sai diariamente da Marina às 9 horas da manhã e retorna às 3 horas da tarde. O mesmo barco faz o trajeto tanto para hóspedes que vão permanecer na ilha, como também para pessoas que só vão passar o dia (ainda não sei muito detalhes sobre passar o dia, estou apurando para compartilhar com vocês).

No nosso caso, o valor do barco já estava incluído no valor da hospedagem (que foi de 22.000 dinheiros de Pesos Colombianos, ida e volta, por pessoa). Um barco novo, confortável, com coletes e bem cuidado. A travessia demora de 50 minutos até 1 hora. Eles fazem uma pequena parada, que dura no máximo 5 minutos, para falar sobre um Forte importante para a história da Cartagena. Foi a única vez que ouvi uma explicação turística em vários idiomas (inglês,francês, além do espanhol)!

Quanto mais o barco se afasta da costa, você vai notando a mudança na cor da água. De escura vai clareando, e dependendo da posição do sol, tem diferentes tons de azul. Muita boniteza para nossos olhos!

Barco de partida para a Isla Grande: é possível ver a skyline de Cartagena

Barco de partida para a Isla Grande: é possível ver a skyline de Cartagena

 

Na chegada do hotel fomos recebidos com um suco e toalhas refrescantes. Fomos encaminhados para a recepção do Hotel fazer o check in, mas os quartos só foram liberados a partir das 2 horas da tarde. Então deixamos nossas malas na recepção e fomos aproveitar o dia de sol! 

 

- ONDE FICAR

Escolhemos o Hotel Don Pedro de Majagua, pois tinha uma boa classificação no Trip Advisor, mas também e mais importante: estava dentro do nosso orçamento para usar milhas do cartão de crédito.

O Hotel Don Pedro de Majagua tem uma estrutura enorme, um espaço grande mesmo. Mesmo as pessoas que vão só para passar o dia, podem fazer uso da estrutura (com excessão dos quartos). São duas praias, uma em cada ponta do hotel: uma com uma extensão de areia e a outra como uma piscina natural. Ambas com água clarinha, morna, cheia de peixinhos e até caranguejos.

Muitas árvores e sombra em toda parte do hotel

Muitas árvores e sombra em toda parte do hotel

Um dos nossos lugares favoritos: sentar no sofá, ouvir as ondas do mar e sentir a brisa

Um dos nossos lugares favoritos: sentar no sofá, ouvir as ondas do mar e sentir a brisa

 

Há também um SPA do hotel, com massagens. Fizemos uma sessão de massagem que durou uma hora. Há vários tipos de massagens e diferentes valores. Escolhemos a das costas, por 50 dinheiros de dólar.

Enquanto você faz massagem, você ouve uma música relaxante, além das ondas do mar

Enquanto você faz massagem, você ouve uma música relaxante, além das ondas do mar

 

Os quartos na verdade são bangalôs espalhados pela propriedade, existem vários estilos e tamanhos. Cada bangalô tem o nome de um animal marinho, o nosso foi polvo. Quartos amplos com ar condicionado, frigobar, ventilador de teto. O banheiro era aberto para o quarto (não tem uma porta de divisão, é um biombo) e tinha produtos da L'occitane. O chuveiro tinha água muito fraquinha e a água demorava um pouco para esquentar. 

Quanto aconchegante na nossa suíte Polvo =)

Quanto aconchegante na nossa suíte Polvo =)

 

O café da manhã era servido até às 9:30, e teve alguns dias que perdi porque afinal de contas eu estava de férias. Havia opções de frutas, omeletes e tradicionais da Colombia, que inclusive eu pedi um dia e é uma opção só de fritura e acabou deixando meu estômago pesado.

Já o almoço começa às 11 horas da manhã e vai até às 3 da tarde. Esse é o horário ideal até para as pessoas que vão passar apenas o dia. O cardápio oferece peixes, fritos do mar, ceviche, hambúrguer e massa. Eu adorei o ceviche de pescado e achei bem servido!

O jantar tem alguns itens do almoço, mas também tem novidades. Adoramos o Arroz Tai, não é picante, tem camarão e é bem servido! Também provamos o hambúrguer que é um tantão de carne.

Uma dica se você ficar uma noite lá no hotel, veja o por do sol no deck. Fizemos isso por alguns dias, apenas nos levamos. Depois tirei a canga da bolsa. Um momento de contemplação das cores, do sol dando até logo e do nosso abraço ali naquele calor da Colômbia. 

Por do sol no deck do Hotel: delícia esse momento

Por do sol no deck do Hotel: delícia esse momento

Em um estalo, as cores do céu vão brincando com os tons

Em um estalo, as cores do céu vão brincando com os tons

 

- O QUE FAZER

A ilha é bem tranquila. Você pode ficar lá só vivendo de sombra e água fresca, no caso água morna do mar. Mas você pode também fazer algumas atividades oferecidas pelo hotel, como fazer trilha de bike, stand up, caiaque, mergulho e outras atividades. Essas atividades são pagas à parte e cá para nós, achei que era um valor acima do mercado, vamos dizer um valor de ilha gurmetizado (Pá zuei!).

Uma das praias do nosso hotel: sim, um pedacinho do paraíso =)

Uma das praias do nosso hotel: sim, um pedacinho do paraíso =)

 

Contratamos um barqueiro, na verdade era o pai e o filho no valor de 50.000 pesos para ida e volta até uma outra Ilha, a Bendita Beach. Foram 20 minutos no barco, com sombra e salva vidas. Pelo caminho passamos pelas ruínas da antiga casa do Pablo Escobar.

As ruínas de uma das casas do Pablo Escobar

As ruínas de uma das casas do Pablo Escobar

 

Bendita Beach

Uma praia com areia banca e água mais cristalina ainda. A praia tem estrutura de cadeiras, espreguiçadeiras, há também guarda sol. Ficamos lá por algumas horas, tomamos uns drinks e comemos um peixe grande e bem servido com salada e arroz de coco. Pagamos em dinheiro, pois não aceitam cartão de crédito. Deixamos uma gorjeta, mas o garçon não entendeu e queria nos devolver o valor adicional, até explicarmos que era propina (em espanhol, gorjeta). 

Notamos muitos corais brancos (o que significa, sem vida) e também alguns lixos na praia. Já havia lido que não há um cuidado com o meio ambiente, e ver aquela cena me entristeceu por um minuto, mas depois eu fui juntando o lixo para jogar em uma lixeira. Fiz a minha parte.

Silêncio, sereias descansando =) 

Silêncio, sereias descansando =) 

 

Eu fiquei naquela água, olhando para aquela imensidão, onde o oceano se misturava com o céu. Como é possível uma água tão cristalina que consigo ver meus pés! Andava mais até o pé não tocar no chão, mas mesmo lá no fundão eu conseguia ver o chão de conchas, e vai estar na minha memória sempre.

Bendita Praia de águas e areia caras !

Bendita Praia de águas e areia caras !

 

Oceanário

É a atração #13, segundo o Trip Advisor em Cartagena e na verdade é, eu não sei explicar. Acho que é mais para crianças. Mas mesmo assim...

Não é um Aquário. Alguns animais ficam no mar, em uma espécie de tanques, mas em grades. Incluíndo golfinhos que ficam à disposição para fotos no caso do pagamento de 50.000 pesos colombianos. Confesso que a cena que eu vi me fez pensar: vendo os golfinhos pousando para fotos e depois recebendo peixinhos como pagamento pelo bom comportamento, um dos pássaros que estava esperando uma oportunidade, deu um rasante e pegou o peixe. Ficou na minha mente esse instante onde o pássaro livre tirava proveito da condição do golfinho preso.

Golfinho no Oceanário de Isla de Rosário

Golfinho no Oceanário de Isla de Rosário

 

Os animais parecem ser bem cuidados. Os shows são guiados para que os turistas vejam os bichinhos sendo alimentados. E a cena dos pássaros roubando o alimento era comum. O funcionamento é das 11 horas da manhã até 3 horas da tarde, o valor 30.000 pesos colombianos. O barco que nos levou é do hotel e não foi cobrado translado. 

Peixes sendo alimentados depois da explicação em espanhol.

Peixes sendo alimentados depois da explicação em espanhol.

Essa foto retrata exatamente o que falei: peixes x aves .

Essa foto retrata exatamente o que falei: peixes x aves .

Casa do artista plástico colombiano, Botero

Casa do artista plástico colombiano, Botero

 

- OUTRAS DICAS

Na região existem mais coisas, mais ilhas para poder visitar e indico um aliado para achar mais atrações que seja no seu perfil: o Trip Advisor (parece até propaganda, mas não é! eu realmente uso muito quando viajo!

Para mala, leve roupas leves e confortáveis. Nada de luxo ou salto alto. Havaianas, short, blusinhas, vestidos e saia. Não esqueça o repelente, protetor solar e labial. Um chapéu ou boné para a proteção extra do rosto também vale!

Nossa preocupação era: "Já passou o protetor solar?" ficamos desconectados por um tempo de telefones e internet. E por um dia quase não postei no meu Insta @manunomundoo porque eu simplesmente estava 100% conectada com o momento presente: aproveitando aquela natureza toda, a companhia do meu marido, lendo livro e contando quantos peixinhos me faziam cosquinha!

Levamos alguns petiscos (biscoitos e castanhas), também levamos algumas garrafas de água. E isso nos fez economizar um pouco, mas nada demais.

Os taxistas normais (os carros são aparelhos) não tem taxímetro. Então, cada corrida eles falam o valor. É melhor combinar o valor antes de entrar no carro. Quando fomos do hotel para a Marina, em um primeiro momento o valor era 18.000 dinheiros de pesos, mas depois mudou para 20.000 dinheiros de pesos.

 

Caminho do Oceanário muitas ilhotas com aves

Caminho do Oceanário muitas ilhotas com aves

10 dias na Colômbia: Cartagena, Isla Grande e mais!

A Colômbia já estava na minha lista de lugares para ir fazia tempo, em especial Cartagena das Índias! Ficava encantada com as fotos naquela explosão de cores e paisagens! Em março de 2017, no aniversário do meu marido eu vi uma promoção incrível e não podia ser mais claro presente para ele: uma viagem!

 

- COMO CHEGAR:

Compramos as passagens pela Avianca em uma condição muito especial e um vôo direto de Miami para Cartagena. Ficamos na dúvida em ir para Bogotá, San Andrez e Medellin, mas como a viagem foi presente para o marido e o que ele queria mesmo era relaxar, focamos em Cartagena. Fechamos as passagens primeiro e as hospedagens fechamos depois, utilizando pontos do cartão de crédito.

A passagem de volta foi pela Copa Air Lines, com uma parada de 5 horas no Panamá. E ainda bem ter essa janela de tempo, porque o voo de volta atrasou quase uma hora para decolar.

 

- O QUE FAZER:

Como eu comentei acima, essa viagem foi um presente e segui exatamente o que o marido queria fazer: relaxar. Eu queria muito, muito ter esticado para Medellin, Bogotá e San Andres, mas ele queria e precisava relaxar. Concentramos nossa viagem em Cartagena, e foi ótimo para o objetivo: r.e.l.a.x.a.r.

Bocagrande 

Nos primeiros 2 dias ficamos na região de BocaGrande, hospedados no hotel Hyatt, com aquela piscina infinita dos sonhos e um Happy Hour delicioso com vista para o mar e um por do sol incrível. O hotel é novo, tem 1 ano, e foi maravilhoso. Esses primeiros 2 dias não saímos do hotel, na verdade, só saímos para pegar dinheiro no banco, pois tinhamos passagens para a Isla Grande. Como para a ilha, tínhamos que pegar um barco, deixamos uma das malas no hotel (sem cobrança extra), e foi a melhor coisa que fizemos, pois uma das nossas malas eram grandes.

Vista do Hotel Hyatt para a região de Bocagrande 

Vista do Hotel Hyatt para a região de Bocagrande 

 

É na região de Bocagrande que ficam os hotéis de grandes redes, uma praia pequena e comércios. Um amigo nosso que é colombiano recomendou que não ficássemos só nessa região porque lá nós não sentiríamos a Colômbia. As praias da região são de areia escuras pois o solo é vulcânico, por isso também as águas são mais escuras.

 

Isla de Rosário, Isla Grande

A Isla de Rosário é um conjunto de ilhas na verdade, e resolvemos ficar na Isla Grande, que como o próprio nome diz é a maior. Escolhemos o Hotel Don Pedro de Majagua, e ficamos lá por quatro noites. Na verdade estava programado ficar 5 noites, mas resolvemos antecipar a partida, e passar a noite de Thanksgiving em um restaurante especial na cidade. 

Uma das praias do hotel Don Pedro de Majagua

Uma das praias do hotel Don Pedro de Majagua

O hotel é enorme, com wifi na recepção e restaurante. Os quartos, na verdade bangalôs,  ficam espalhados e com os nomes de animais marinhos, o nosso bangalô era Polvo. Quarto grande, amplo, limpo e os produtos do banheiro eram L'occitane.

Há duas praias, uma com uma extensão de areia e águas claras) e outra como uma piscina. As praias na Colômbia são públicas, então nos espaços comuns haviam moradores da Ilha oferencendo artesanato, tour e até lagosta! 

Fizemos dois passeios: conhecemos a  Bentida Beach (e no caminho passamos pelas ruínas de uma das casas de Pablo Escobar). Bendita Beach é uma praia linda, com areia branquinha, água cristalina e morna. A praia tinha estrutura com cadeiras, bares e até almoçamos lá um peixe. O outro passeio foi para o aquário. Foram dias diferentes e seguindo o ritmo lento de relaxar.

Bendita Beach, fica 20 minutos de barco da Isla Grande e tem areia branca e águas claras

Bendita Beach, fica 20 minutos de barco da Isla Grande e tem areia branca e águas claras

Por falar em relaxar, fizemos também uma massagem de uma hora por 50 dinheiros de dólar. A massagem assim como as refeições e drinks durante o dia consumidos no hotel depois pagamos no cartão. Mas fora isso, os passeios e a entrada no aquário foi tudo em cash, dinheiro vivo.

 

Cidade Amuralhada

A Cidade Amuralhada é a cidade antiga, cercada por um muro, na verdade um forte para proteger a cidade de invasores na época colonial. É onde a cidade acontece!

Como antecipamos a nossa volta, fizemos uma reserva de última hora no hotel que tinha disponibilidade. A cidade estava lotada e depois descobrimos que estava acontecendo um congresso e por isso tudo estava cheio.

O hotel era bem localizado perto de restaurantes e do comércio, café da manhã super farto e uma equipe super atenciosa. Mas, preciso confessar que cheirava mofo, era barulhento e no final, já com as malas prontas para sair, vimos marcas the bed bugs (percevejos) no lençol da cama. :-(

Cidade Amuralhada: cores vibrantes nas ruas da antiga cidade

Cidade Amuralhada: cores vibrantes nas ruas da antiga cidade

Nossa segunda hospedagem foi na Botique Hotel Bantú, bem próximo do hotel anterior. O hotel tem uma decoração gracinha, com piscina e mascotes 2 tucanos soltos. Nosso café da manhã não estava incluído e por isso comemos mais fora todos os dias.

Hotel Bantú: bem localizado e com uma decoração linda aconchegante

Hotel Bantú: bem localizado e com uma decoração linda aconchegante

Andamos pela cidade, fomos à todas as praças, igrejas e museus. Todas as atrações turística, no entanto, como museus por exemplo, só tinham textos e áudios em espanhol, o que dá uma limitada.

A cidade tem realmente todas as cores e é vibrante, sempre tem uma casa em manutenção, pintando e arrumando a fachada.

Visitamos o Forte de São Felipe, que tem uma vista linda da cidade. Fomos também para o Museu de Arte Moderna que custava 8mil dinheiros cada ingresso.

Castilho de San Felipe Barajas: um forte com vista para toda a cidade de Cartagena

Castilho de San Felipe Barajas: um forte com vista para toda a cidade de Cartagena

 

Valeu ter ido ver o por do sol no Café Del Mar, uma vista linda, música bacana também, com um serviço de primeira. Quando eu falei que queria ter uma cerveja muito geladinha, a Maria, nossa garçonete, pegou um balde de gelo para eu colocar e deixar a minha cerveja. :-)

Café del Mar: entrada gratuita para assistir o por do sol. Chegue cedo (até as 5pm) para sentar

Café del Mar: entrada gratuita para assistir o por do sol. Chegue cedo (até as 5pm) para sentar

 

- GASTRONOMIA

Nossa! Se você gosta de frutos do mar aqui É O LUGAR! Ceviche, polvo, peixe eu comi todos os dias... mas se você não gosta, relaxa que tem bife e frango também! Tem opção vegana, saudável, tem um japa, tem sorvete... é uma delícia! E as frutas? Cada uma mais delícia que a outra! Ahh!! Tem comida tradicional também: Arepas! P.R.O.V.E. !!!

Arepa ! A melhor que comemos na Colômbia, no  Café Época

Arepa ! A melhor que comemos na Colômbia, no Café Época

Cada dia descobrimos um restaurante para comer um brunch ou jantar. Fizemos comprinhas no mercado para umas cervejinhas e tira gosto durante a tarde. Comemos muito bem e valeu a pena.

Vou fazer um post só sobre os restaurantes e bares para esse artigo não ficar muito looongo. 

 

- COMPRAS

Andando pela cidade eu fiquei encantada com as lojas de roupas femininas. Acho que foi o corte, as cores, o caimento. Provei algumas no final da viagem (na manhã antes de ir para o aeroporto) adquiri uma calça, pois descobrimos que tinhamos muitos dinheiros de pesos colombianos.

Artesanato local feito com fio de trigo

Artesanato local feito com fio de trigo

 

Artigos de lembranças e artesanatos também tem aos montes, com cores e histórias. Muitas bijuterias também sendo oferecida por artesões na rua. As peças no entanto, achei muito parecida com a que temos no Brasil.

 

- MOEDA

Até agora estou tentando entender como funciona o Peso Colombiano. Mas, comparando com o dólar é 3 vezes mais fraco. Um repelente por exemplo valia 14.000 dinheiro de pesos. Um ceviche variava de 19.000 até 32.000 pesos. Bijus a partir de 2.000 pesos. Cervejas de 5.000 até 18.000 pesos. Sacamos um valor referente a 300 dinheiros de dólar (o que deu 600.000 pesos) para levar na Ilha e também ter algum cash. 

No último dia, tínhamos dinheiro sobrando, pois fomos pagando no cartão de crédito. Não achei as coisas caras, mas tinha uma diferença entre o Café del Mar com cervejas por 18.000 Pesos e no mercado compramos 6 cervejas por 14.000 Pesos. Mas claro que não tinha o mesmo por do sol que vimos.

 

- MAIS DICAS

  • Novembro na Colômbia é um mês muito quente e muito úmido! Nos 9 dias que passamos, a máxima foi de 42°C e a mínima de 27°C, sendo que a humidade estava sempre muito elevada e fazia com que o calor fosse devastador. Ter ficado em um hotel com piscina, foi perfeito pois saíamos pela manhã e de tarde no auge do calor fiávamos na piscina até o sol baixar um pouco.

 

  • Sobre montar a mala: leve roupas leves! Shorts, vestidos, saias, não esqueça do chapéu e de sapatos confortáveis. Com o calor e a mudança de Hotel, fez toda a diferença esses itens.

 

  • Os itens que mais usei: protetor solar, repelente e chapéu! Mesmo na cidade, o sol era muito forte, e teve até um dia que eu abri o guarda-chuva para proteger do sol! 

 

  • O Uber é ilegal, no dia da chagada passamos por uma situação estranha. Os motoristas continuam dirigindo como uma forma extra de renda. E pedem que caso a polícia pare fale que somos amigos. O Ryan por exemplo sempre andava no banco da frente para não ter problemas. Depois que voltamos da Ilha, conhecemos o Arturo que tem WhatsApp foi um querido. Ele tem um carro novo, bem cuidado e climatizado, nos levou para o aeroporto no último dia por 20.000 pesos. Ele também faz tour personalizado. Se você quiser o contato dele, pode falar que foi a brasileira Manu que deu: +57 310 5495482

 

  • Verifique com seu hotel se no quarto há mofo. A cidade está sempre pintada e em manutenção. Pois no período de chuvas (outubro/novembro/dezembro), há muitas infiltrações e até mesmo andando na rua eu sentia o cheiro de mofo.

 

 

Nossa eu escrevi muito!

Mas espero que você tenha gostado! =)
Vou contar com mais detalhes depois como foi cada parte da viagem, assim fica tudo mais explicadinho!

Beijos!!