Chile: o que aprendi depois de 5 anos

Às vezes a minha percepção de tempo parece não existir. Acabei de ser notificada pelo Facebook com a lembrança da minha viagem para o Chile. Não quero falar que foi a minha viagem favorita porque eu já fui para tantos lugares incríveis, mas olhaaaa acho que foi.

É fato que depois de 5 anos, essa viagem continua tão viva dentro de mim, tão intensa que me sinto revivendo tudo de novo. Nesse exato momento, escrevendo aqui, estou lembrando da minha ida para o aeroporto com o taxi do Sr. João, lembro também, das borboletas no estômago de sentar no avião e olhar ao redor.

Não foi só maravilhas. Tive momentos intensos também. Mas, aprendi e quero registrar isso para poder ler daqui um tempo:

Lição 1: Ser leve - Ser leve na bagagem e em atitudes.

Precisei adiar o dia do embarque, porque fiquei doente. Perdi alguns dias e cogitei até cancelar a parte do Atacama, mas não. Eu otimizei minha viagem, literalmente fazendo 2 ou 3 passeios por dia!

Para variar, chamei a minha amiga Day para me ajudar com as malas. Ela riu do tamanho e da quantidade de coisas que estava levando. E me ajudou a reduzir! Ainda bem!!! Porque no Atacama as ruas são de terra!

Quando estava na fila do check in no aeroporto do Rio, para despachar a minha mala gigante,  tentei colocar créditos no Skype, mas não consegui. Então, liguei para a minha prima e amiga pedindo ajuda. Era a minha primeira viagem sozinha, estava munindo de ter todas as formas de comunicação com amigos e família. Não conseguimos. Lembro o stress que eu fiquei e também o stress que causei nelas. Chegou a minha vez de ser atendida e desliguei agradecendo, mas ainda com aquela adrenalina, sabe? Foi aí que o atendente fala que não estava localizando a minha reserva -P.R.O.N.T.O- Pensei: "isso que dá comprar em promoção, já vou voltar para casa..." me debrucei no balcão. Mas o atendente falou que ia resolver e resolveu. Relaxei e me coloquei ali, vendo ele se dedicar para a solução. Momentos depois mandei mensagem para a minha prima e amiga agradecendo e pedindo desculpas pela atitude.

Chegando em Santiago fiquei aguardando o voo para o Atacama, que teve atraso. Mas a minha vibe já era outra. E foi exatamente assim que fiquei nos outros dias da viagem, relaxada. Aproveitando as minhas férias, afinal eram férias! E ainda bem que o voo atrasou, porque pude chegar ao Atacama de noite e ver o céu com muitas estrelas. Nunca vi um céu tão estrelado, uma lua tão grande (e olha que nem era lua cheia).

 Um dos lugares mais lindos: Vale de La Luna (repara na lua ali no céu!)

Um dos lugares mais lindos: Vale de La Luna (repara na lua ali no céu!)

 

A minha lição mais uma vez era: as coisas vão acontecer mas a forma como você encara é que vai fazer você gerar ou não um sentimento de frustração, raiva... não é para não sentir, mas não alimentar e não deixar esses sentimentos expandirem.

 

Lição 2: Me Respeitar - Meus sonhos e vontades

O bom de viajar sozinha é que você pode ter momentos de conhecimento e de reconhecimento das suas atitudes. Eu escrevi um post sobre Viajar Sozinha, não vou repetir aqui tudo, prometo! Mas entender a si mesmo, limites (físico, financeiro, tempo), ambições, vontades, atitudes.

 Uma joaninha pousou em mim na rua de Santiago! Eu amo joaninhas e tenho algumas =)

Uma joaninha pousou em mim na rua de Santiago! Eu amo joaninhas e tenho algumas =)

Como tive que adiar a data da viagem, acabei fazendo o passeio dos Geysers del Tatio no meu segundo dia. Ou seja, sai do nível do mar e fui para mais de 4500m de altitude em menos de 24 horas. Conclusão: meu corpo não aguentou, a mudança brusca de altitude e eu apaguei. Consegui ver o nascer do sol um espetáculo de cores e cheiros, mas eu fui dormir. Na parte da tarde eu já estava melhor fiz o segundo passeio. Mas eu não precisava passar por isso, ou precisava? Eram só 4 dias de Atacama! Era um dos passeios que eu mais planejei... mas podia ter deixado por último? Sim! Podia ter tomado o chá de Coca? Claro! Mas foram as minhas escolhas e me respeitar (e xingar também, fazem parte). 

 

Lição 3: Ser Livre - "Livre pra poder viver, livre pra poder buscar o meu lugar ao sol..."

Ok, pedacinho da música do Charlie Brown Jr. para poder inspirar a minha lição 3. Mas a sensação de viajar param lugar assim aberto, tão diferente de tudo que tinha visto, a liberdade de conhecer pessoas, de provar novas comidas e de ter novas experiências é incrível! Essa liberdade, de respirar fundo e encher o peito com o ar seco e ao mesmo tempo cheio de vida. Isso ninguém mais tira de mim. O medo que tinha (e que ainda tenho, mas estou trabalhando isso todos os dias), esse medo que me trava e me deixa parada está acabando.

Somos tão pequenos. Eu lá no Anfiteatro do Vale de La Luna me imaginando aquela formação geológica de anos, que se transformou. Aquele solo que lembrava de verdade, as fotos que via da lua.

Ser livre para viver paixões de um dia, de um avião, de uma viagem. Paixão é tão bom e dá um gás na vida. Tão importante, que nos impulsiona mais para a vida! 

 Ficar parada sentindo o sol e agradecer

Ficar parada sentindo o sol e agradecer

Poder mudar de planos porque era eu comigo mesma. Querer seguir o que tinha planejado, mas não com a pressão de tempo, de ser caro... era eu ali, tendo toda essa experiência incrível. E que está comigo até agora. Mudei planos para ir ao Restaurante, para poder andar pela cidade e fazer um Walk Tour, conheci pessoas que tenho contato até hoje, e já nos vimos outras vezes! =) 

 

Lição 4: Sonhar e realizar - Se você sonha, você pode realizar

Mas isso só depende de você! Eu no avião fazendo minhas anotações de pensamentos e eu querendo viver de viagem, querer conhecer esse mundão. Cara olha pra mim hoje! Olha o quanto eu já conheci! Olha a coragem que eu tenho de poder e querer conhecer mais! Porque esse mundo é muito grandão!

chilevinhedo.jpg

Degustar vinhos nos vinhedos, andar pelas ruas e visitar museus, tirar fotos e fotos. Viver o que se sonha, isso é muito meu! E é seu também, só basta agir.

Lição 5: Viver o belo

Era tudo escuro quando cheguei ao Atacama. Mas aquele céu estrelado ainda está lá. Era tanta estrela que parecia uma nuvem branca mesmo de noite.

De manhã, tudo marrom. Não tinha verde. O que tinha das plantas, era coberta com uma poeira do chão. Mas era lindo. O céu todo azul, limpinho sem nuvem. Os lagos eram calmos, era uma visão que só tinha visto em filmes ou em fotos da National Geografic ou no Discovery. 

chileatacamalagoas.jpg

 

O branco no chão onde pisava era sal. Já o branco no pico da montanha que via lá no horizonte, era neve. E tudo nessa mesma combinação de marrom, azul.

chileatacamasaleneve.jpg

As árvores, diferentes. Com o tronco rachado, mas fortes. Eram apenas diferentes. E tudo era diferente no Atacama. Uma beleza que eu não tinha visto nunca na minha vida!

E Santiago? Cidade moderna, com a arquitetura linda. Jardins floridos, gastronomia deliciosa no restaurante que gira e você vê toda a cidade. E os vinhos saborosos, amizades que se formaram, as nights e por que não, mais vinho? 

chilevinhedo.jpg
chilesantiagorestaurante.jpg

 

Vila del Mar? Foi a primeira vez que coloquei meus pés no Oceano Pacífico!! Estava muito gelado! Por ter perdido a data de vinda, eu fiz em um dia: Valparaíso e Vila del Mar. Eu sei que foi corrido, eu sei que mereciam um pouco mais de dias e momentos. Mas foi especial.

 Tocando pela primeira vez no Oceano Pacífico

Tocando pela primeira vez no Oceano Pacífico

 Alguma dúvida que a água estava gelada? Estava MUITO gelada!

Alguma dúvida que a água estava gelada? Estava MUITO gelada!

Acho que tem também a lição 6! De ter mais memória no telefone e na máquina fotográfica para poder caber tantas tantas fotos que vão ficar para sempre em mim!

Reviver essa viagem aqui hoje, escrevendo esse post foi uma delicia! Muito obrigada por essa oportunidade e estou doida para poder escrever mais! Um beijo e te espero no próximo post!