10 dias na Colômbia: Cartagena, Isla Grande e mais!

A Colômbia já estava na minha lista de lugares para ir fazia tempo, em especial Cartagena das Índias! Ficava encantada com as fotos naquela explosão de cores e paisagens! Em março de 2017, no aniversário do meu marido eu vi uma promoção incrível e não podia ser mais claro presente para ele: uma viagem!

 

- COMO CHEGAR:

Compramos as passagens pela Avianca em uma condição muito especial e um vôo direto de Miami para Cartagena. Ficamos na dúvida em ir para Bogotá, San Andrez e Medellin, mas como a viagem foi presente para o marido e o que ele queria mesmo era relaxar, focamos em Cartagena. Fechamos as passagens primeiro e as hospedagens fechamos depois, utilizando pontos do cartão de crédito.

A passagem de volta foi pela Copa Air Lines, com uma parada de 5 horas no Panamá. E ainda bem ter essa janela de tempo, porque o voo de volta atrasou quase uma hora para decolar.

 

- O QUE FAZER:

Como eu comentei acima, essa viagem foi um presente e segui exatamente o que o marido queria fazer: relaxar. Eu queria muito, muito ter esticado para Medellin, Bogotá e San Andres, mas ele queria e precisava relaxar. Concentramos nossa viagem em Cartagena, e foi ótimo para o objetivo: r.e.l.a.x.a.r.

Bocagrande 

Nos primeiros 2 dias ficamos na região de BocaGrande, hospedados no hotel Hyatt, com aquela piscina infinita dos sonhos e um Happy Hour delicioso com vista para o mar e um por do sol incrível. O hotel é novo, tem 1 ano, e foi maravilhoso. Esses primeiros 2 dias não saímos do hotel, na verdade, só saímos para pegar dinheiro no banco, pois tinhamos passagens para a Isla Grande. Como para a ilha, tínhamos que pegar um barco, deixamos uma das malas no hotel (sem cobrança extra), e foi a melhor coisa que fizemos, pois uma das nossas malas eram grandes.

 Vista do Hotel Hyatt para a região de Bocagrande 

Vista do Hotel Hyatt para a região de Bocagrande 

 

É na região de Bocagrande que ficam os hotéis de grandes redes, uma praia pequena e comércios. Um amigo nosso que é colombiano recomendou que não ficássemos só nessa região porque lá nós não sentiríamos a Colômbia. As praias da região são de areia escuras pois o solo é vulcânico, por isso também as águas são mais escuras.

 

Isla de Rosário, Isla Grande

A Isla de Rosário é um conjunto de ilhas na verdade, e resolvemos ficar na Isla Grande, que como o próprio nome diz é a maior. Escolhemos o Hotel Don Pedro de Majagua, e ficamos lá por quatro noites. Na verdade estava programado ficar 5 noites, mas resolvemos antecipar a partida, e passar a noite de Thanksgiving em um restaurante especial na cidade. 

 Uma das praias do hotel Don Pedro de Majagua

Uma das praias do hotel Don Pedro de Majagua

O hotel é enorme, com wifi na recepção e restaurante. Os quartos, na verdade bangalôs,  ficam espalhados e com os nomes de animais marinhos, o nosso bangalô era Polvo. Quarto grande, amplo, limpo e os produtos do banheiro eram L'occitane.

Há duas praias, uma com uma extensão de areia e águas claras) e outra como uma piscina. As praias na Colômbia são públicas, então nos espaços comuns haviam moradores da Ilha oferencendo artesanato, tour e até lagosta! 

Fizemos dois passeios: conhecemos a  Bentida Beach (e no caminho passamos pelas ruínas de uma das casas de Pablo Escobar). Bendita Beach é uma praia linda, com areia branquinha, água cristalina e morna. A praia tinha estrutura com cadeiras, bares e até almoçamos lá um peixe. O outro passeio foi para o aquário. Foram dias diferentes e seguindo o ritmo lento de relaxar.

 Bendita Beach, fica 20 minutos de barco da Isla Grande e tem areia branca e águas claras

Bendita Beach, fica 20 minutos de barco da Isla Grande e tem areia branca e águas claras

Por falar em relaxar, fizemos também uma massagem de uma hora por 50 dinheiros de dólar. A massagem assim como as refeições e drinks durante o dia consumidos no hotel depois pagamos no cartão. Mas fora isso, os passeios e a entrada no aquário foi tudo em cash, dinheiro vivo.

 

Cidade Amuralhada

A Cidade Amuralhada é a cidade antiga, cercada por um muro, na verdade um forte para proteger a cidade de invasores na época colonial. É onde a cidade acontece!

Como antecipamos a nossa volta, fizemos uma reserva de última hora no hotel que tinha disponibilidade. A cidade estava lotada e depois descobrimos que estava acontecendo um congresso e por isso tudo estava cheio.

O hotel era bem localizado perto de restaurantes e do comércio, café da manhã super farto e uma equipe super atenciosa. Mas, preciso confessar que cheirava mofo, era barulhento e no final, já com as malas prontas para sair, vimos marcas the bed bugs (percevejos) no lençol da cama. :-(

 Cidade Amuralhada: cores vibrantes nas ruas da antiga cidade

Cidade Amuralhada: cores vibrantes nas ruas da antiga cidade

Nossa segunda hospedagem foi na Botique Hotel Bantú, bem próximo do hotel anterior. O hotel tem uma decoração gracinha, com piscina e mascotes 2 tucanos soltos. Nosso café da manhã não estava incluído e por isso comemos mais fora todos os dias.

 Hotel Bantú: bem localizado e com uma decoração linda aconchegante

Hotel Bantú: bem localizado e com uma decoração linda aconchegante

Andamos pela cidade, fomos à todas as praças, igrejas e museus. Todas as atrações turística, no entanto, como museus por exemplo, só tinham textos e áudios em espanhol, o que dá uma limitada.

A cidade tem realmente todas as cores e é vibrante, sempre tem uma casa em manutenção, pintando e arrumando a fachada.

Visitamos o Forte de São Felipe, que tem uma vista linda da cidade. Fomos também para o Museu de Arte Moderna que custava 8mil dinheiros cada ingresso.

 Castilho de San Felipe Barajas: um forte com vista para toda a cidade de Cartagena

Castilho de San Felipe Barajas: um forte com vista para toda a cidade de Cartagena

 

Valeu ter ido ver o por do sol no Café Del Mar, uma vista linda, música bacana também, com um serviço de primeira. Quando eu falei que queria ter uma cerveja muito geladinha, a Maria, nossa garçonete, pegou um balde de gelo para eu colocar e deixar a minha cerveja. :-)

 Café del Mar: entrada gratuita para assistir o por do sol. Chegue cedo (até as 5pm) para sentar

Café del Mar: entrada gratuita para assistir o por do sol. Chegue cedo (até as 5pm) para sentar

 

- GASTRONOMIA

Nossa! Se você gosta de frutos do mar aqui É O LUGAR! Ceviche, polvo, peixe eu comi todos os dias... mas se você não gosta, relaxa que tem bife e frango também! Tem opção vegana, saudável, tem um japa, tem sorvete... é uma delícia! E as frutas? Cada uma mais delícia que a outra! Ahh!! Tem comida tradicional também: Arepas! P.R.O.V.E. !!!

 Arepa ! A melhor que comemos na Colômbia, no  Café Época

Arepa ! A melhor que comemos na Colômbia, no Café Época

Cada dia descobrimos um restaurante para comer um brunch ou jantar. Fizemos comprinhas no mercado para umas cervejinhas e tira gosto durante a tarde. Comemos muito bem e valeu a pena.

Vou fazer um post só sobre os restaurantes e bares para esse artigo não ficar muito looongo. 

 

- COMPRAS

Andando pela cidade eu fiquei encantada com as lojas de roupas femininas. Acho que foi o corte, as cores, o caimento. Provei algumas no final da viagem (na manhã antes de ir para o aeroporto) adquiri uma calça, pois descobrimos que tinhamos muitos dinheiros de pesos colombianos.

 Artesanato local feito com fio de trigo

Artesanato local feito com fio de trigo

 

Artigos de lembranças e artesanatos também tem aos montes, com cores e histórias. Muitas bijuterias também sendo oferecida por artesões na rua. As peças no entanto, achei muito parecida com a que temos no Brasil.

 

- MOEDA

Até agora estou tentando entender como funciona o Peso Colombiano. Mas, comparando com o dólar é 3 vezes mais fraco. Um repelente por exemplo valia 14.000 dinheiro de pesos. Um ceviche variava de 19.000 até 32.000 pesos. Bijus a partir de 2.000 pesos. Cervejas de 5.000 até 18.000 pesos. Sacamos um valor referente a 300 dinheiros de dólar (o que deu 600.000 pesos) para levar na Ilha e também ter algum cash. 

No último dia, tínhamos dinheiro sobrando, pois fomos pagando no cartão de crédito. Não achei as coisas caras, mas tinha uma diferença entre o Café del Mar com cervejas por 18.000 Pesos e no mercado compramos 6 cervejas por 14.000 Pesos. Mas claro que não tinha o mesmo por do sol que vimos.

 

- MAIS DICAS

  • Novembro na Colômbia é um mês muito quente e muito úmido! Nos 9 dias que passamos, a máxima foi de 42°C e a mínima de 27°C, sendo que a humidade estava sempre muito elevada e fazia com que o calor fosse devastador. Ter ficado em um hotel com piscina, foi perfeito pois saíamos pela manhã e de tarde no auge do calor fiávamos na piscina até o sol baixar um pouco.

 

  • Sobre montar a mala: leve roupas leves! Shorts, vestidos, saias, não esqueça do chapéu e de sapatos confortáveis. Com o calor e a mudança de Hotel, fez toda a diferença esses itens.

 

  • Os itens que mais usei: protetor solar, repelente e chapéu! Mesmo na cidade, o sol era muito forte, e teve até um dia que eu abri o guarda-chuva para proteger do sol! 

 

  • O Uber é ilegal, no dia da chagada passamos por uma situação estranha. Os motoristas continuam dirigindo como uma forma extra de renda. E pedem que caso a polícia pare fale que somos amigos. O Ryan por exemplo sempre andava no banco da frente para não ter problemas. Depois que voltamos da Ilha, conhecemos o Arturo que tem WhatsApp foi um querido. Ele tem um carro novo, bem cuidado e climatizado, nos levou para o aeroporto no último dia por 20.000 pesos. Ele também faz tour personalizado. Se você quiser o contato dele, pode falar que foi a brasileira Manu que deu: +57 310 5495482

 

  • Verifique com seu hotel se no quarto há mofo. A cidade está sempre pintada e em manutenção. Pois no período de chuvas (outubro/novembro/dezembro), há muitas infiltrações e até mesmo andando na rua eu sentia o cheiro de mofo.

 

 

Nossa eu escrevi muito!

Mas espero que você tenha gostado! =)
Vou contar com mais detalhes depois como foi cada parte da viagem, assim fica tudo mais explicadinho!

Beijos!!